Captura de tela 2020-12-14 103241.png

Desconstrucionismo Derridiano e Teorias Epistemológicas da Pós-Modernidade: Influências Recíprocas

Eugénio António Narciso Corôa
A Pós-Modernidade constitui uma época bastante complexa no que diz respeito às manifestações epistemológicas em diferentes âmbitos da realidade objectiva e a Desconstrução, enquanto teoria metodológica influente no período, é o cerne de orientação do presente trabalho. Representado por Jacques Derrida, ao se propor desconstruir os pilares do pensamento moderno manifestos por um logocentrismo da metafísica da presença/ocidental e a concepção de um sujeito racional, o Desconstrucionismo propiciou um campo para a afirmação de diferentes racionalidades, antes consideradas à margem da problemática epistemológica e, como resultado, observa-se uma mudança de significação na relação sujeito/objecto no processo do conhecimento, uma desmitificação do significado da Razão, um reconhecimento de diferentes colocações epistémicas e, finalmente, a emergência de uma nova Teoria do Conhecimento aberta à diferença, à transversalidade do pensamento e, em consequência, à pluralidade metodológica. Intitulado Desconstrucionismo Derridiano e Teorias Epistemológicas da Pós-Modernidade: Influências Recíprocas, analisa-se neste trabalho, de modo crítico, o panorama metodológico da Epistemologia na Pós-Modernidade, caracterizado por uma atitude de “rebeldia” em relação à tradição vigente tendo em conta a emergência, desenvolvimento, avanços, difusão e aplicação nas várias componentes da experiência humana. Atinente aos intentos aqui traçados, a estrutura do trabalho inclui a descrição de diferentes propostas teórico/críticas de análise da problemática do conhecimento, na época em alusão, desenvolvidas por pensadores tais como: o próprio Jacques Derrida, Michel Foucault, Gilles Deleuze e Jean-François Lyotard. Neste sentido, por via da presente abordagem, defende-se a tese segundo a qual o programa desconstrucionista condicionou aos Saberes Locais, na Pós-Modernidade, o reconhecimento do seu Estatuto Epistemológico!

195p.


ISBN – 978-65-81110-61-1
DOI: https://doi.org/10.36592/9786581110611